Contato
Home >> Blog

Cachorro idoso: Cuidados especiais para ter com seu pet de idade!

Cachorro idoso

Ao ver os nossos pets enérgicos, brincalhões e amigáveis, esquecemos que um dia eles irão preferir mais uma boa soneca que uma brincadeira. Quando isso acontece é porque temos um cachorro idoso na casa.

A condição gerada pela idade altera o comportamento e a saúde do animal de estimação. De modo que serão necessários carinho e cuidados específicos que proporcionarão melhor qualidade de vida e bem-estar ao seu bichinho.

Portanto prestar atenção aos sinais de que possui um cachorro idoso e conhecer tudo sobre a idade avançada possibilitará que você e o seu pet aproveitem essa nova fase da vida sem sofrimentos.



Sinais que o cachorro está ficando idoso

Pet deitado Fonte: Saúde abril

Você sabia que um ano do seu cão é equivalente a muito mais da idade humana? Isso porque as expectativas de vida dos cachorros variam de 12 a 20 anos, conforme a sua raça e porte.

Em muitos casos, para definir a idade “humana” dos caninos, muitas pessoas simplesmente multiplicam a idade real por sete. No entanto isso não está correto, já que esse dado depende de fatores, como: porte, velocidade de envelhecimento e duração de cada fase.

Apesar disso, pensando em uma média, podemos afirmar que a partir dos 8 ou 10 anos de vida, o cão chega à velhice. Essa informação é considerada subjetiva, já que varia de um animal a outro. Porém você não deve ignorar os indícios de:

  • Alteração de peso e coloração dos pelos, tornando-se grisalha;
  • Percepção das mudanças de temperatura, passam a sentir mais frio;
  • Pele flácida;
  • Mudança comportamental, aparentando ser mais amável e dócil;
  • Preguiça e sonecas excessivas;
  • Dificuldades respiratórias e de mobilidade;
  • Aparecimento de doenças relacionadas aos ossos e à mente;
  • Diminuição da função do sistema imunológico e dos sentidos, principalmente, audição e visão.

Com exceção das mudanças de pelagem, pele, comportamental e do sistema imunológico. Essas manifestações são comuns, entretanto não é certo que seu bicho de estimação as apresentará.

O fato de ter um cachorro idoso não é sinônimo de cuidar de um animal doente ou dependente. Por vezes, seu pet pode envelhecer saudável e ativo, embora possua algumas limitações.

Cuidados especiais nessa faixa etária

Cão no gramado Fonte: Naturalis total alimentos

Da mesma forma como uma pessoa idosa necessita de atenção e cuidados diferenciados, o pet idoso também precisa. Sendo assim, alguns hábitos que você deve adquirir junto do seu cão são:

  • Dieta à base de ração com menos calorias para cães idosos. Caso altere sua alimentação, não deixe de consultar o veterinário;
  • Utilização de suplementos, caso necessário, de acordo com prescrição médica;
  • Visitas ao veterinário, sendo essas de seis em seis meses a partir do momento em que seu animalzinho se encontra nessa fase da vida;
  • Exercitar sempre que possível. Recomendamos caminhadas e brincadeiras diárias com períodos de repouso;
  • Fazer massagens e escovações nos pelos;
  • Fornecer cobertas e camas confortáveis;
  • Permitir sonecas sossegadas;
  • Momentos entre cão e dono, com foco apenas na atenção e carinho;
  • Divertir-se!

Tendo isso em mente, você, mais que o seu cão, deve se adaptar à essa fase e à nova rotina. De modo que sempre tenha tempo para observar como seu pet interage com o ambiente, implantando rampas, caso preciso; aproximando a caminha dos potes de comida e água; e cuidando de sua pele e pelagem para que não surja problemas.

Além disso, as brincadeiras e exercícios físicos devem mudar, por causa da idade. Para tanto, procure oferecer petiscos caseiros e realizar caminhadas curtas e atividades físicas com cuidado e sem exagero. Por fim, evite expor o seu amigo à mudanças bruscas de temperatura.

Uma vida ativa e cautelosa garantirá uma boa saúde, bem-estar e uma ótima qualidade de vida ao seu animal.

 

+Veja também Petiscos para cachorro: Saiba como escolher o melhor para seu pet!

 

Problemas mais frequentes ao cachorro idoso

Cachorro recebendo carinho Fonte: Golden friend forever

A partir do momento em que a velhice chega, cães idosos estão propícios a contrair algumas doenças comuns à essa fase. Mas, não apenas isso, a diminuição da função do sistema imunológico e o tipo de raça contribuem a isso.

Devido à essa predisposição às doenças, as consultas com médicos veterinários são fundamentais. Isso porque, uma vez que uma doença é diagnosticada precocemente, o animal sofrerá menos com os sintomas e sua vida será mais longa.

Dentre as enfermidades que acometem aos pets idosos, as mais comuns são:

  • Câncer: frequente em cães idosos em consequência da queda do sistema imunológico. O câncer pode ser percebido, especialmente, pelos sinais de: feridas que demoram a cicatrizar, odores incomuns, sangramentos e dificuldades de urinar e defecar.
  • Obesidade: originada do sedentarismo e falta de energia, além da falta de tempo e atenção do próprio dono. Essa doença pode trazer consigo os problemas cardíacos e dificuldade de mobilidade;
  • Catarata: refere-se à perda total ou parcial da visão, reconhecida pelo aspecto dos olhos nublados. No estado inicial, é possível curar com cirurgia;
  • Insuficiência renal: ou mau funcionamento dos rins, faz com que seja difícil transformar a água em urina. Seus sintomas comuns e perceptíveis são: grande quantidade de urina, aumento da sede e fraqueza.
  • Problemas cardíacos e neurológicos: os problemas cardíacos acometem principalmente às válvulas, apresentando: cansaço excessivo, língua arroxeada, falta de ar e perda de peso. Enquanto os neurológicos podem variar de tumores à transtornos, como Alzheimer.
  • Doenças periodontais: com o passar dos anos, os dentes se desgastam e podem gerar problemas. Isso porque, na maioria das vezes, os donos não têm conhecimento de que a escovação dental do pet deve ser diária. Logo, quando há mau hálito e alteração de peso e alimentação, seu bichinho provavelmente está com doença periodontal;

Importância da atenção e do carinho

Cão recebendo abraço Fonte: Gazeta do povo

Cuidados com a saúde são importantes a qualquer ser vivo, entretanto aos nossos pets o amor e carinho são os elementos mais desejados.

Como muitas pessoas já devem ter ouvido ou lido, os animais já nascem sabendo amar de um jeito que nós demoramos a vida inteira para aprender. Por isso eles vivem por menos tempo. No entanto, o que para nós é pouco, para eles é muito.

 

+Veja também Disfunção cognitiva canina: Como lidar com cães que possuem a síndrome!

 

Dessa forma, não deixe de dar o amor, carinho, atenção e cuidados que você daria a um pai, uma mãe ou um filho. Tudo isso pode mudar muito a vida do seu pet, da mesma forma que a vida dele altera a sua. Portanto retribua os sentimentos e compartilhe esse conteúdo aos seus amigos que também têm bichinhos de estimação.

Um ato vale mais que mil palavras.

S.O.S. CÃOpanheiros

É uma ONG criada em Dezembro/99, CNPJ: 07.661.890/0001-21, com o propósito de acolher cães de rua que estejam em estado crítico de saúde, extremamente debilitados ou em situação de risco.

SAIBA COMO NOS AJUDAR!

Inscreva-se como associado do S.O.S. Cãopanheiros ou pelo telefone (021) 99766-1180. Passe a receber as noticias e contribuir para a ONG, efetuando depósito mensal em uma de nossas contas.