Contato
Home >> Blog

Obesidade Canina: Conheça os riscos e saiba como evitar esse problema!

Cachorro com osso

Cães gordinhos podem representar ao dono mais fofura e uma qualidade estética de certas raças. No entanto quando um cachorro está com excesso de peso, isso pode ser indício de uma possível obesidade canina.

Ao tratarmos desse assunto, não estamos afirmando que seu cachorro é obeso, mas sim que, como dono, você deve tomar alguns cuidados. Isso porque essa doença acomete de 30% a 40% dos cães domésticos brasileiros.

A obesidade pode ser considerada de grande risco ao seu animal, visto que traz consigo uma variedade de problemas, como: dificuldade respiratória e distúrbios cardíacos. Sendo assim, altere os hábitos do seu cão e melhore sua expectativa de vida.



Saiba como identificar um cachorro obeso

Cachorro na balança - Obesidade canina Fonte: Geração pet

A odiposidade canina é uma enfermidade de fácil identificação, já que há critérios bem definidos pelo Escore de Condição Corporal – ECC. Esse sendo uma escala que varia de 1 a 9, de acordo com a estrutura corporal de cada raça. Dessa forma, é possível descobrir se o seu pet está acima do peso ou abaixo.

Logo, segundo os parâmetros do ECC de:

  • 1 a 3: está abaixo do peso, sendo possível ver as costelas, vértebras, ossos dos quadris e reentrância abdominal (diferença de altura entre costelas e barriga, quando visto de perfil);
  • 4 a 6: peso corporal ideal, podendo as costelas e reentrância estarem levemente visíveis ou não. Porém quando apalpado é possível sentir uma leve camada de gordura;
  • 7 a 9: acima do peso, quando você não sente facilmente as costelas do seu bicho de estimação ao apalpá-lo e não é possível ver a linha da cintura quando observado de cima.

Ao examinar o peso de seu animal, não se esqueça que isso pode variar conforme a raça. Pois há aquelas mais gordinhas, como por exemplo o Pug. Nesses casos o corpo arredondado não é sinônimo de obesidade, indicando até mesmo uma boa qualidade de vida.

Contudo, caso tenha dificuldades na identificação da massa corporal do seu cão, é indicado uma visita ao veterinário. Somente o profissional será capaz de reconhecer adequadamente a obesidade canina. Além disso, seu cachorro será pesado e terá um acompanhamento e aconselhamento adequado.

Causas da obesidade canina

Cachorro obeso - Obesidade canina Fonte: Pinterest

Sendo realmente direto e duro com você, a corpulência canina é de extrema responsabilidade dos membros da família. Isso porque o cachorro depende de você para se alimentar e criar hábitos saudáveis.

Portanto, se sua rotina é sedentária e dá pouca atenção ao seu bicho de estimação, ele será igualmente sedentário.

Apesar disso, essas não são os únicos fatores que provocam o ganho de peso nos animais, há outros como:

  • Alimentação desequilibrada devido fornecer sem horários específicos ou mesmo oferecer os restos da sua comida;
  • Petiscos em excesso;
  • Falta de exercícios físicos e brincadeiras, esses que dependem de pelo menos 30 minutos de caminhada diárias;
  • Doenças, como por exemplo hipotireoidismo;
  • Estresse;
  • Inverno, visto que é a estação que nos torna propensos a evitar atividades físicas e comer mais;
  • Castração, pois gera a diminuição de hormônios e aumento da fome. De modo que as gorduras não são quebradas corretamente;
  • Genética.

Cachorros de pequeno porte ou mesmo os de grande porte que costumam ser ativos são predispostos a adquirir a obesidade mais facilmente. Pois na maioria das vezes, seus donos os mantêm em casa e não os levam para passear, estimulando o sedentarismo e não gastando suas energias.

Algumas raças mais conhecidas por isso são: Labrador, Boxer, Rottweiler, Beagle, Cocker, Bulldog Inglês, Basset Hound, Terra Nova e Pastor Alemão. Apesar disso, independentemente da raça ou porte, é necessário que leve seu animal a passeios diários de 10 a 30 minutos.

Esse tempo varia de acordo com a raça, idade e disposição do seu pet.



Riscos para a saúde do pet

Cachorro deitado - Obesidade canina Fonte: Pet Care

O excesso de gordurinhas e falta de reentrância abdominal não são as maiores preocupações quando observamos um cão acima do peso. Já que a obesidade canina ocasiona diversas complicações, como:

  • Dificuldade respiratória durante exercícios e climas quentes;
  • Baixa resistência e imunidade;
  • Aumento de propensão a problemas cardíacos, gastrointestinais, articulares e diabetes;
  • Necessidades cirúrgicas;
  • Pressão nos órgãos, como coração, pulmões e rins;
  • Diminuição de dois anos de vida.

Todos esses problemas resultarão em desconforto e sofrimento do animal. Visto que o aumento de peso dificulta também a sua caminhada e pesa sobre seus ossos, podendo causar fraturas frequentes.

 

+Veja também Dog walker: Conheça essa profissão e as vantagens do serviço!

 

Tratamento para a obesidade canina

Cachorro se exercitando Fonte: Cachorros fofos

Se você é um dono preocupado com o seu cão, isso já conta. Pois a primeira etapa para um bom tratamento é o reconhecimento do dono sobre a doença do animal. Seguido por mudanças alimentares e rotineiras.

Desse modo, a recomendação de tratamento para cães obesos é: oferecer alimentos com valores energéticos diminuídos em 20% a 40%; alimentar de duas a quatro vezes por dia, fracionadamente; realizar exercícios físicos e brincadeiras; não dar muitos petiscos e restos de comida humana; e fornecer muita água.

Embora você possa seguir essas dicas por conta e risco, não aprovamos que arrisque a vida de seu pet. Portanto sugerimos que o leve ao médico veterinário, pois assim seu cachorro será devidamente examinado e terá uma rotina de vida prescrita e aconselhada por um profissional.

Caso um de seus receios seja diminuir a comida, porque seu animal come muito. Indicamos que dê ração light, recomendada pelo veterinário. Além de colocar a ração em garrafas pets para que seu amigo brinque e tente retirar para comer.

Além disso, não apenas uma alimentação equilibrada, mas também a prática de atividade física é essencial. Essa que diferencia conforme a raça, idade e disposição do seu bicho, não precisando ser apenas uma caminhada. Sendo assim, outros exercícios possíveis poderiam ser: corrida, lançamento de objetos e entre outros.

Outras opções são a contratação de um dog walker e uso de esteiras aquáticas, essas que diminuem 60% da obesidade e não prejudicam as articulações do seu pet.

 

+ Veja também Atividades físicas para cachorros: Informações sobre o assunto!

 

Apesar disso, o ideal é sempre ter um momento e energia ao seu cão. Dessa forma você proporcionará uma boa saúde, bem-estar e união a si e ao seu pet. Compartilhe esse artigo com seus amigos e familiares para que não apenas você tenha conhecimentos sobre obesidade canina e cuide de seu animal.

S.O.S. CÃOpanheiros

É uma ONG criada em Dezembro/99, CNPJ: 07.661.890/0001-21, com o propósito de acolher cães de rua que estejam em estado crítico de saúde, extremamente debilitados ou em situação de risco.

SAIBA COMO NOS AJUDAR!

Inscreva-se como associado do S.O.S. Cãopanheiros ou pelo telefone (021) 99766-1180. Passe a receber as noticias e contribuir para a ONG, efetuando depósito mensal em uma de nossas contas.