Contato
Home >> Blog

Dermatite canina: Sintomas, causas, tratamentos e dicas!

Cachorro sentado com pelagem falhada

Você sabe diferenciar dermatite canina de simples coçadinhas?

Observar o seu cachorro se coçar de vez em quando não é problema. Contudo se houver coceiras persistentes, frequentes e/ou intensas fique atento. Pois certamente é sinal de que o seu pet está com alguma reação alérgica.

A dermatite canina, além de apresentar coceira, ainda pode prejudicar o bem-estar do seu animal. Interferindo nas atividades diárias e manifestando outros sintomas físicos, como queda de pelos e feridas na pele. Então entenda mais sobre essa doença e descubra como proceder.

 

+Veja também Sarna canina – O que é, tipos, causa, sintomas e dicas!

 

O que é dermatite canina

Cachorro com alergia - Dermatite canina

Fonte: Perito animal

A dermatite canina é uma inflamação ou infecção na pele do animal que pode ser causada por diversos fatores externos ou internos. Como a proliferação de fungos e bactérias, comum principalmente em raças com predisposição genética, devido ao seu tipo de pelagem ou dobrinhas da pele. De modo a acometer principalmente Shih Tzu, Akita, Golden Retriever, Pitbull, Pastor Alemão e outros pets.

Essa doença é uma reação da pele o maior órgão responsável pela proteção do organismo. E pode durar horas, dias, meses ou anos, dependendo da causa da dermatite.

Por isso, o ideal é sempre procurar o médico veterinário do seu animal para que sejam realizados exames e tratamentos para a melhora da saúde do seu cão. Até porque a dermatite canina é um problema que pode causar estresse, feridas com pus e febre.

Sintomas

Cachorro deitado - Dermatite canina

Fonte: Petz

Para reconhecer os sintomas de dermatite em cães e gatos, basta prestar mais atenção ao seu animal. Pois são sinais apresentados principalmente no comportamento e no corpo do seu pet. Havendo assim:

  • Coceira localizada frequente e muitas vezes intensa. Que pode piorar com o passar do tempo;
  • Lambeduras e mordidas em excesso em alguma região do corpo. Mas que podem ser confundidas facilmente com sintomas de pulgas e carrapatos;
  • Vermelhidão e feridas com ou sem pus na pele;
  • Descamação, ocasionada principalmente pelo ressecamento da pele;
  • Queda de pelo, devido à descamação da pele.

Dessa forma, além das coceiras insistentes, examine a pele do seu animal. Observando se há machucados, inchaços, falhas na pelagem. E descartando a ideia de pulgas e carrapatos, caso não veja esses insetos no corpo do seu cachorro.

De qualquer modo, caso seu pet apresente manifestações e comportamentos diferentes, sempre leve ao hospital veterinário. Pois somente o profissional será capaz de dizer qual é a causa e tratamento correto para a dermatite canina e outras doenças.

Causas da dermatite canina

A dermatite canina pode ser gerada por diversos motivos, havendo ao menos sete tipos. Apesar disso, ao levar seu cão ao veterinário, muitas vezes o profissional analisa a partir das principais causas da doença: por picada de pulga ou carrapato, alergia alimentar ou atopia. Já que são os fatores que mais acometem essa doença. E o processo de descoberta pode ser um tanto árdua e demorada.

A seguir, confira informações sobre os tipos de dermatite:

Fungos e bactérias

Dermatite em pele de cachorro

Fonte: O meu animal

A alergia causada por fungos e bactérias normalmente tem como precursor a predisposição das raças. Devido à sua pelagem espessa, dupla ou longa, e à anatomia do animal que muitas vezes possui dobrinhas. Esses são alguns dos fatores que facilitam a proliferação de fungos e bactérias adquiridos principalmente de ambientes e objetos mal higienizados. Ou do contato de um animal saudável com outro infectado.

Assim, é possível que seu cão adquira a doença por excesso de umidade, erros no banho ou até mesmo em determinadas épocas do ano que provocam mais frio ou calor ao pet. De modo que é necessário tomar mais cuidados com os pelos e a pele do animal.

Principalmente nas raças já citadas e outras mais, como Buldogue Inglês, Buldolgue Francês, Maltês, Lhasa Apso.

Alergia alimentar

Cão comendo

Fonte: Patas da casa

A dermatite alimentar é um tipo mais simples. Já que não é transmissível. Porém depende de análise da dieta do seu cachorro. Havendo, então, um processo de retirada dos alimentos naturais, como frutas e legumes, caso os dê. E troca da ração e petiscos para comidas hipoalergênicas.

Dessa forma, será possível avaliar se a causa da alergia do seu pet é por alimento. Pois, se os sintomas não sumirem, provavelmente não é.

Mas, caso seja, é importante seguir as recomendações alimentares do profissional. Visto que a maioria das rações possuem as proteínas que mais causam alergia nos animais: o frango e a carne de gado.

 

+Veja também Alergia em cachorros: Causas e tratamentos para o problema!

 

Dermatite canina atópica

Dermatite canina atópica

Fonte: Veterinária atual

A dermatite atópica canina já é um tipo mais complicado de se descobrir. Isso porque é quando o animal de estimação já possui predisposição genética a adquirir reações alérgicas. Seja um cão de raça ou um SRD (sem raça definida).

Logo as causas das coceiras podem ser muitas. Como fatores do ambiente (poeira, pólen), objetos (brinquedos, pote de ração), tecidos felpudos, produtos de limpeza e outros elementos.

Nesses casos, o processo de descoberta pode ser ainda mais lento. Durando de semanas a meses. Já que é indicado retirar alguns elementos aos poucos para observar a melhora do animal. Juntamente com tratamentos semanais de banho e escovação.

Alergia por picada de inseto

Cachorro se coçando

Fonte: Cobasi

A alergia por picada de inseto pode ser provocada pela ação de piolhos, mosquitos, carrapatos, sarnas ou pulgas. Que além de desencadear os sintomas padrões do contágio do parasita ainda pode facilitar e promover a alergia por bactérias. Uma vez que o organismo se torna vulnerável.

Dentre elas, a mais comum e transmissível é a dermatite alérgica à picada de pulgas (DAPP). Na qual o cachorro possui hipersensibilidade à saliva do inseto. De modo a apresentar coceiras incessantes, feridas, lambeduras, mordeduras e, consequentemente, uma pele mais frágil e menos protegida.

Produtos

Cachorro preto deitado

Fonte: Cleanipedia

Nem todos os pets possuem esse tipo de sensibilidade. Contudo é possível que o seu seja alérgico à shampoo, condicionador, perfume, produto de limpeza ou qualquer outro elemento químico que entre em contato com a pele.

Então, para esses casos, o leve a uma consulta. Pois somente o profissional será capaz de indicar o shampoo e tratamento ideal para o seu animal.

No caso de alergia ao produto de limpeza que é utilizado no chão, é indicado o uso de água com vinagre de maçã. Uma mistura mais natural e menos nociva à pele do seu pet.

Dermatite canina de autoimunidade

Cachorro com dermatite

Fonte: Pet friends world

A dermatite canina ainda pode ser causada pelo sistema imunológico autoimune do seu cão. Ou seja, quando o organismo reage aos elementos internos do próprio corpo. De modo que há produção de anticorpos e linfócitos para o combate desses agentes, causando bolhas de pus, crostas, manchas e fragilidade da pele do animal.

Nesse tipo de dermatite, o único controle é com medicamentos imunossupressores.

Problemas hormonais

Cachorro marrom deitado

Fonte: Cachorro gato

Os problemas hormonais também podem ser muito prejudiciais ao bem-estar e saúde cutânea do seu pet. Já que pode causar perda de pelo, manchas e crostas provocadas pelo desequilíbrio dos hormônios.

Assim, a pele do animal fica mais vulnerável aos micro-organismos, como fungos e bactérias. Que podem gerar a dermatite canina.

Então para todos os casos de mudanças no corpo e comportamento do seu cachorro, entre em contato com o médico veterinário. E evite complicações.

Diagnóstico e tratamento da dermatite canina

Cachorro com dermatite na boca

Fonte: Melhor amigo dog

Para diagnosticar a dermatite canina, o veterinário segue alguns procedimentos padrões para a eliminação de algumas hipóteses. De modo que é comum exames como:

  • Raspagem de pele: para descobrir se há ácaros que causam sarna no animal;
  • Análise do corpo do animal: capaz de eliminar ou confirmar a ideia de carrapatos, pulgas e piolhos;
  • Teste hormonal ou sanguíneo: que verifica presença de micro-organismos como fungos ou bactérias no corpo do pet.

Caso esteja tudo bem até então, você e o seu animal devem passar por um processo mais demorado de exclusão para a descoberta dos componentes que causam a alergia. Assim sendo comum retirar alguns itens como brinquedos, cobertas, produtos de limpeza e alguns alimentos. Mas tudo aos poucos com retorno a cada 15 dias para avaliar a melhora do cachorro.

Tratamento da dermatite

Cachorro com dermatite

Fonte: Patas da casa

O tratamento da dermatite canina muitas vezes é realizado juntamente com o processo de exclusão dos possíveis causadores da doença. Embora o tratamento em si seja mais eficaz após a descoberta da causa.

De qualquer modo, muitas vezes é recomendado:

  • Uso de antialérgicos;
  • Banhos semanais com produtos específicos para a pele do seu cão;
  • Hidratação da pele ou da área lesionada;
  • Compra de rações hipoalergênicas ou aplicação da alimentação natural sugerida pelo profissional;
  • Maior cuidado com a limpeza do ambiente. Sendo necessário trocar roupa de cama e limpar o lar com mais frequência para que haja menos poeira;
  • Lavagem da caminha, toalha e coberta do pet com sabão hipoalergênico.

Esse tratamento pode ser algo temporário. Ou até mesmo duradouro para o resto da vida do pet, caso o seu cão seja atópico. Ou seja, tenha predisposição genética para a dermatite.
Portanto tente seguir todos os passos recomendados pelo veterinário e observe as mudanças no seu animal.

Prevenção à dermatite canina

Cachorro tomando banho

Fonte: Vansil

A prevenção da dermatite canina depende especificamente do cuidado e observação do seu animal de estimação. Pois, sendo ou não alérgico, é importante ter alguns hábitos na sua rotina para uma pele mais saudável para o seu pet. Então:

  • Realize escovações frequentes;
  • Dê banhos de acordo com o sugerido pelo veterinário. Sendo comum aos cães saudáveis uma média de uma vez por mês;
  • Seque o seu cachorro corretamente, após os banhos. Pois assim você estará reduzindo a umidade e chances de proliferação de fungos e bactérias;
  • Invista em rações mais apropriadas ao seu animal. Ou seja, evite glúten, aditivos, leite e sabor frango. Além disso, caso prefira, pode ser oferecida a ração hipoalergênica;
  • Não esqueça do remédio antipulgas do seu animal;
  • Mantenha a casa limpa e longe de produtos muito fortes e nocivos;
  • Se necessário, hidrate a pele do seu pet.
  • Principalmente em cães atópicos, esses cuidados devem ser redobrados e as instruções do médico veterinário devem ser seguidas à risca. Já que sempre pode haver uma nova crise.

Dicas finais para quem sofre com a dermatite canina

Cachorro amarelo sentado

Fonte: Seres

Infelizmente, muitas vezes, a dermatite canina é algo que acompanhará o seu pet para sempre. Mas não tema, pois as coceiras intensas e frequentes podem ser controladas. Assim como os demais sintomas, como vermelhidão e feridas.

Para isso, que tal seguir algumas dicas mais naturais?

  • Ofereça chá de camomila ou hortelã ao seu pet diariamente, mas sem exagero. Isso porque é um calmante que pode aliviar as coceiras do pet;
  • Aplique ou dê banho com chá de camomila ou hortelã no seu animal;
  • Hidrate a pele diariamente;
  • Dê banhos semanais ou de acordo com a necessidade do seu cão com o uso de shampoos específicos;
  • Observe o que parece fazer bem ou não ao seu pet. E retire tudo o que causa alergias;
  • Ômega 3 também pode ajudar a fortalecer o sistema do seu pet.

Essas dicas devem ser seguidas sempre com cuidado e análise da reação do seu cãozinho. Uma vez que nem todos reagem da mesma maneira para certos tratamentos.

 

Agora, sabendo que dermatite canina é coisa séria e pode acometer qualquer cachorro, não deixe de compartilhar esse conhecimento. E garanta que mais pets tenham uma vida saudável e feliz!

S.O.S. CÃOpanheiros

É uma ONG criada em Dezembro/99, CNPJ: 07.661.890/0001-21, com o propósito de acolher cães de rua que estejam em estado crítico de saúde, extremamente debilitados ou em situação de risco.

SAIBA COMO NOS AJUDAR!

Inscreva-se como associado do S.O.S. Cãopanheiros ou pelo telefone (021) 99766-1180. Passe a receber as noticias e contribuir para a ONG, efetuando depósito mensal em uma de nossas contas.