Contato
Home >> Blog

Coprofagia: Saiba como lidar com esse problema!

Cachorro com coprofagia

Nos referindo pelo nome coprofagia, poucos tutores sabem do que se trata. No entanto se dissermos que é quando observamos nossos pets ingerindo fezes, você com certeza já entenderá. Isso porque, embora não aconteça com todos os cães, qualquer tutor já ouviu falar.

As causas para essa doença podem variar, podendo se tratar desde uma consequência de uma verminose à um problema psicológico. Além disso, apesar de não parecer perigoso que o seu animal coma o próprio cocô, pode gerar diversas complicações.

Sendo assim, conhecer as motivações da coprofagia, seus sinais e seus tratamentos são essenciais para proporcionar uma boa qualidade de vida ao seu pet. E evitar problemas secundários.



Porque o cachorro come cocô

Coprofagia canina Fonte: Amor aos pets

Durante a coprofagia o mais comum é ver seu cachorro ingerindo as próprias fezes, porém pode ocorrer dele comer o cocô de outros animais. Tendo seus agentes causadores divididos entre comportamentais e fisiológicos.

Causas fisiológicas da doença

Na maioria das situações, a coprofagia tem muito mais a ver com consequência de algumas doenças, como: doenças gastrointestinais, insuficiência hepática, infecções, gastrite, diabetes e pancreatite. Contudo tal ato pode ser provocado também devido:

  • Má alimentação, de modo a ser percebido uma falta de nutrição. Fazendo com que o animal de estimação consuma suas próprias fezes como forma de absorver mais nutrientes, fibras, calorias e bactérias intestinais saudáveis ao pet;
  • Apetite anormal, sendo conhecido por polifagia, consequentemente fazendo com que o cão coma cocô quando não há alimento disponível;
  • Excesso de gordura na dieta.

Dessa forma, a procura pelo médico veterinário será mais que fundamental para o tratamento dos problemas primários que têm originado a coprofagia. Pois pode acontecer do seu cachorro precisar de suplementos, alteração alimentar ou mesmo cuidados para a melhora de alguma doença.

Causas comportamentais da coprofagia

Por outro lado, o cão pode apresentar o quadro de coprofagia quando deseja atenção de seus donos. Visto que é comum nos atentar ou mesmo ir até nossos bichos de estimação quando percebemos que estão comendo fezes.

Além disso, os animais podem manifestar essa ação quando se encontram estressados ou estão:

  • Imitando o ato de tirar as caquinhas, ou seja, desaparecendo com elas. Sendo imitado o ato do dono que as limpa ou mesmo de outros cães que comem fezes, como por exemplo filhotes imitando suas mães;
  • Limpando o ambiente para suas crias. Dessa forma podemos entender o motivo de mães ingerirem xixi e cocô. Já que desejam manter a higiene do local em que vivem;
  • Sentindo-se isolados, confinados, ansiosos e entediados. Tendo esse como motivo de querer a atenção de seus donos;
  • Confundindo alimento com as sujeiras. Sendo comum aos cachorros que realizam suas necessidades próximas dos seus potinhos de comida e água.

Nesse caso, observamos a importância de manter o local sempre limpo e oferecer a atenção, carinho e cuidados necessários para que seu pet não se sinta sozinho. Até porque o estresse e ansiedade estão muito ligados com seu bem-estar.

Coprofagia tem a ver com a raça?

Cachorro no gramado Fonte: Meus animais

A coprofagia é mais relacionada aos cães de pequeno porte, quando analisados no Brasil, segundo a Dra. Juliana Cury. Entretanto estudos, realizados pela Veterinary Medicine and Science, afirmam que tal comportamento é mais comum em cães da raça Terrier e Hounds.

Sendo assim, não há pesquisas que definam certamente a propensão de raças à essa doença. Mas esteja atento principalmente caso seu cachorro seja de pequeno porte, como: Shih Tzu, Yorkshire e Spitz Alemão.

 

+Veja também Yorkshire Terrier: Entenda o temperamento dessa linda raça!

 

Riscos para a saúde do pet

Cão na grama Fonte: Clube para cachorros

Não é só porque comer cocô não é um hábito comum e completamente anti-higiênico que devemos afastar nossos cães desse tipo de ação. Mas também porque pode trazer algumas complicações, sendo perigoso à saúde do seu pet.

Isso porque o animal pode ingerir as fezes de outros bichos, sendo comum se alimentar do cocô de gatos. Visto que a ração felina é mais saborosa e proteica, fazendo com que o cachorro ache as fezes felinas mais atraentes ao seu paladar.

Durante a ingestão excrementos de outros animais, o seu cão pode estar incluindo em seu organismo diversos parasitas. Sendo mais comum quando o bicho que defecou apresenta alguma doença parasitária.

De modo que, além do comportamento da coprofagia, o seu pet manifeste sintomas originários de outros problemas. Como por exemplo: mau hálito, perda de peso e apetite, sede excessiva e outros sinais clínicos. Sendo os mais comuns relacionados à coccidiose canina, além de leptospirose, toxoplasmose e inflamação intestinal.

Tratamento para a coprofagia

Cachorro sentado Fonte: Canal do pet

Sabendo que seu cão pode estar com alguma doença ou mesmo se sentindo carente, de modo a ocasionar a coprofagia. O melhor tratamento dependerá principalmente da descoberta de sua causa. Uma vez que essa varia de comportamental à fisiológica.

Logo:

  • Consulte um médico veterinário. Já que o profissional será capaz de analisar o físico, histórico e demais características do animal. Por vezes, aconselhando a realização de exames;
  • Realize atividades físicas ou passeios uma ou duas vezes por dia com o seu animal de estimação. Dessa forma ele não apresentará sentimento de isolamento;
  • Quando o seu cachorro faz xixi ou cocô no local errado, não coloque seu rosto onde seria o lugar certo. Isso porque ele pode entender que deve comer ali;
  • Alimente o seu animal de estimação corretamente. Oferecendo ração mais de uma vez por dia. Além de, caso você tenha mais de um pet, ter um potinho para cada um, pois pode acontecer de um comer mais que o outro;
  • Ofereça alimentação balanceada de qualidade, proporcionando que o organismo do seu pet absorva tudo o que for necessário para uma boa saúde;
  • Após seu cachorro evacuar as fezes, é recomendado que você as limpe assim que possível, porém não na frente do seu cão. Evitando que seu bicho de estimação as coma ou mesmo entenda que deve se livrar de suas sujeiras;
  • Adestre com o reforço positivo, e não com punições e broncas.

Em algumas situações, pode acontecer do veterinário indicar o uso de medicamentos ou mesmo suplementos. Porém não se preocupe, isso apenas será essencial para enriquecer a alimentação do seu animal ou mesmo tratar algumas doenças.

 

Se esse artigo te ajudou, que tal compartilhar a quem também sofre com o mesmo problema? Isso será bom não somente aos donos, mas também aos seus pets.

S.O.S. CÃOpanheiros

É uma ONG criada em Dezembro/99, CNPJ: 07.661.890/0001-21, com o propósito de acolher cães de rua que estejam em estado crítico de saúde, extremamente debilitados ou em situação de risco.

SAIBA COMO NOS AJUDAR!

Inscreva-se como associado do S.O.S. Cãopanheiros ou pelo telefone (021) 99766-1180. Passe a receber as noticias e contribuir para a ONG, efetuando depósito mensal em uma de nossas contas.