Contato
Home >> Blog

Piolho em cães: Saiba que é, como tratar e prevenir!

Cão sentado e pessoa penteando-o

Quando pensamos em parasitas externos, as principais preocupações que vêm à mente são: pulgas e carrapatos. Contudo, além desses, ainda há outros tão prejudiciais quanto, assim como o piolho em cães.

Ao observar sinais como coceiras frequentes, seborreia e cheiros fortes e desagradáveis vindos do seu pet, o leve ao profissional. Pois esses são os primeiros sintomas de parasitismo, algo que só tende a piorar, já que o piolho é capaz de contaminar internamente.

Assim, sabendo da existência do piolho em cães, descubra mais sobre esses seres e entenda as formas ideais para a prevenção e tratamento desse problema. Com conhecimento, a saúde e bem-estar do seu filhote estarão seguros.



O que é piolho em cães

Piolho em Cães

Fonte: Perito Animal

O piolho em cães é um inseto semelhante ao encontrado no couro cabeludo humano. Porém são de espécies diferentes, de modo que não se trata de uma zoonose, ou seja, os animais não podem transmitir às pessoas. Logo, se o seu pet se encontra com esse problema, não tema pela sua saúde ou a de seus parentes, se preocupe apenas com o bem-estar do seu cachorro.

Essa praga é similar também à pulga, uma vez que pode ser encontrada entre os pelos e a pele do seu pet, mas se difere principalmente devido ao tamanho que varia de 2mm a 2,5mm e à sua resistência. Isso porque esses parasitas são incapazes de sobreviver por muito tempo sem o calor do corpo do seu bicho de estimação que serve de alimento e habitat para a reprodução.

Assim o piolho de cachorro é uma questão fácil de solucionar desde que haja uma boa higiene do ambiente e do animal. Além disso, ao identificar os primeiros sintomas, consulte o profissional, pois é necessário descobrir o tipo que acomete o seu animal, já que existe:

  • Linognathus setosus: dentre os tipos de piolho canino, pode ser considerado um dos mais perigosos. Pois é o famoso “sugador”, explicando literalmente a sua forma de alimentação que depende da ingestão do sangue do animal. O que pode gerar, como consequência, anemia, fraqueza e indisposição;
  • Trichodectes canis: diferente da espécie anterior, esse inseto se alimenta por meio da mastigação das células mortas derivadas da pele e do pelo do seu cão;
  • Heterodoxus spiniger: é o menos comum e pode ser tão fatal quanto o Linognathus setosus, visto que consome restos celulares e sangue. Além disso, em seu interior pode haver a presença de parasitas intestinais, como a tênia.

Sintomas da doença

Cachorro se coçando

Fonte: Metrópoles

Embora o sintoma mais característico seja a coceira, não é apenas esse indício que sinaliza o surgimento de piolho em cães. Até porque as mordidas e consumos de sangue sentidas pelo seu pet podem proporcionar muitos outros problemas, devido ao incômodo, sendo comum:

  • Inquietação e coceiras em excesso, independente do momento e posição em que seu bichinho estiver;
  • Feridas na pele e queda de pelos, provocadas ao se coçar, gerando a automutilação;
  • Seborreia e fortes odores;
  • Indisposição, fraqueza e cansaço, causados pela perda de sangue.

Ao perceber as coceiras frequentes, não espere pelas próximas manifestações, pois essas indicarão uma maior infestação da praga no corpo do seu pet. Além de que, apesar de não se tratar de uma zoonose, os piolhos sugadores de sangue podem afetar o ser humano, já que pode ocorrer a ingestão despercebida de algum piolho ao tocar e acariciar o seu cachorro.

A transmissão desses parasitas às pessoas não se dará em forma de coceiras, mas sim do problema secundário que são os nematelmintos que podem atingir o intestino humano. Portanto priorize o bem-estar do seu cão.

Causa do piolho em cães

Pet de Orelhas Pequenas

Fonte: Youtube

Para os cachorros poderem adquirir o piolho canino, é necessário a transmissão por contato direto, seja com um animal infectado, ambientes ou objetos. Esse contágio se dá principalmente em cães que não possuem a higiene em dia, de modo a fornecer maior quantidade de alimento e interesse a esses insetos que pulam de um pet para outro, se alimentando e reproduzindo. Até causar a infestação total de todos os itens utilizados pelo seu filho de quatro patas.

Dessa forma, caso você tenha mais de um bicho de estimação em casa, é indicado evitar:

  • Utilizar objetos de outro animal, assim como: escovas, caminha, coleira e roupas;
  • Contato do cachorro com animais de rua;
  • Esquecer o uso de medicamentos antiparasitários, que combatem também pulgas e carrapatos.

As causas citadas podem, sim, ser evitadas, embora nem sempre seja possível identificar um local contaminado. Por isso é importante tomar todas as precauções, para que você e seu pet possam passear e se divertir sem medo de problemas externos à casa.

 

+Veja também Antipulgas para cachorros: Saiba como acabar com o problema!

 

Tratamento e prevenção

Pessoa cuidando de Piolho em Cães

Fonte: Portal do Dog

Uma vez que percebida a presença de piolho em cães, não se preocupe, pois é uma questão que tem cura. Porém se você ainda vê seu animal de estimação saudável e sem problemas, não se descuide, tome as medidas preventivas, pois são fáceis e demandam menos tempo e dinheiro que o tratamento. Bastando apenas aplicar um medicamento antiparasitário na frequência indicada pelo veterinário e pelo fabricante do produto.

Em casos de contágio confirmado, sempre recorra ao profissional. Isso porque somente na clínica irão indicar os melhores itens a serem utilizados no seu pet, de acordo com idade e pelagem. A partir de então, siga uma rotina temporária para eliminar os piolhos:

  • Aplique o remédio contra pulgas, piolhos e carrapatos, segundo a sugestão do veterinário do seu animal. Por vezes, pode se tratar de pipetas, coleiras ou spray. E, caso você se pergunte “posso dar comprimido de piolho para cachorro?”, a resposta é sim. O importante é saber a frequência da aplicação e manter para sempre. Esse será um passo fundamental não apenas ao tratamento, mas também à prevenção;
  • Dê banhos regulares com shampoo antiparasitário. Ao final, não se esqueça de secar bem o corpo do cão com toalha e secador para evitar a possibilidade de fungos e bactérias possibilitada pela umidade;
  • Retire os piolhos e seus ovos com o uso de pente anti pulga.

 

Tratar o piolho em cães pode parecer complicado e desanimador, contudo, pior que isso é sentir na pele o incômodo desses insetos, além de observar nossos bichinhos sofrendo. Assim, agora que conhece a prevenção e tratamento, como está o medicamento do seu animal? Mantenha os cuidados em dia e lembre outros amigos tutores que será essencial, pois não só as pulgas e carrapatos são fatais, mas os piolhos também podem ser.

S.O.S. CÃOpanheiros

É uma ONG criada em Dezembro/99, CNPJ: 07.661.890/0001-21, com o propósito de acolher cães de rua que estejam em estado crítico de saúde, extremamente debilitados ou em situação de risco.

SAIBA COMO NOS AJUDAR!

Inscreva-se como associado do S.O.S. Cãopanheiros ou pelo telefone (021) 99766-1180. Passe a receber as noticias e contribuir para a ONG, efetuando depósito mensal em uma de nossas contas.